Alguns pacientes desistem por vezes de se operar porque têm medos sem fundamento. Estes são os MITOS que atingem em cheio a cirurgia bariátrica. Por exemplo, costuma-se achar que elas são operações de alto risco, de elevada complexidade, muito demoradas, que geram grande trauma operatório e exigem recuperação pós-operatória extremamente rigorosa. A verdade é que desde os tempos das cirurgias abertas a evolução da cirurgia bariátrica a tem tornado cada vez menos invasiva de forma que as ideias acima podem hoje ser consideradas improcedentes. Vejamos:

– Cirurgia bariátrica não é de alto risco: a mortalidade operatória das operações bariátricas é hoje de 0,2% a 0,5% na maioria dos centros. Do conhecimento que se tem hoje, sabe-se que um paciente obeso mórbido corre mais risco de morrer se ele continuar com excesso de peso por 5 anos do que se ele for submetido a uma operação bariátrica;

– Cirurgia bariátrica não é de alta complexidade: são operações feitas em cerca de 50-90 minutos e não são – quando realizadas por cirurgiões com experiência – consideradas tão difíceis como se muitas vezes se imagina;

– O trauma operatório é mínimo: o acesso vídeo-laparoscópico as tornou menos invasivas e a mínima agressão operatória ao organismo dá ao paciente uma recuperação surpreendentemente rápida. Em nossa prática, o paciente depois de operado não necessita ir para UTI e fica internado geralmente apenas 24h. Não ficam com drenos nem sondas. Com 7-10 dias os pacientes podem retomar suas atividades;

– A recuperação pós-operatória é tranquila: a maioria dos pacientes tem recuperação rápida e sem dificuldades. O maior inconveniente após a operação é a dieta dos primeiros dias mas como o paciente não sente fome nessa fase, este é um problema menor

Anúncios